"Antes de mudar o mundo, mudar a gente. Ajuda pra caramba..." (Renato Russo)

sexta-feira, 18 de abril de 2008

Metáforas

Saudações

Não posso deixar de registrar que, independente da hora que o blog mostra por ser caduco, eu estou escrevendo às 16:25. Se bem me lembro, acho que é a primeira vez que venho aqui postar alguma coisa na parte da tarde. Para quem gosta da noite, como eu, e que gosta de expressar de forma bem menos racional quando escreve, é um pouco estranho fazê-lo agora.

Mas tinha vontade de fazê-lo, então pensei: “por que não?”. Acho que no final será interessante, pois, para quem costuma acompanhar minhas palavras por aqui comparar o “eu noturno” com este que vos fala agora.

Gostaria de falar sobre metáforas. Creio que todos saibam do que se trata. Particularmente, eu sou um adepto convicto da “arte” de falar metaforicamente, o que, invariavelmente, me põe em situações constrangedoras.

Mas têm o outro lado da questão. Eu admiro profundamente pessoas que conversam entre si usando metáforas para expressar sentimentos que, em muitas instâncias, o português é falho para representar com fidelidade. Existe, claro, casos bizarros, como o fenômeno “miguxês” que tem se visto por aí. Mas veja bem, não é disso que estou falando. Me refiro a uma representação informal criada entre pessoas que, dado o seu grau de intimidade e/ou cumplicidade, conseguem, entre si, usando metáforas, fazer-se entender de forma bem mais profunda e fiel aos sentimentos do que a língua portuguesa, dada as suas limitações atuais nesse aspecto, não por culpa dela, mas por culpa de nós que não a sabemos, não consegue expressar.

A maioria esmagadora de tudo o que escrevo é repleto de metáforas. Por isso, existem dois extremos para quem se propõe a me ler: o primeiro é de entender o que escrevo porque me conhece; o segundo é entender minhas entrelinhas, através das metáforas e perceber que chegou a um grau de conhecimento sobre mim totalmente externo àqueles que só me conhecem sob a luz do fim de tarde sem nunca terem me visto no ápice da noite, quando eu escrevo, quando me deixo ser enxergado...

Curiosamente o texto que deixarei aqui hoje que sintetiza muito bem o assunto não é meu e sim de uma de minhas leitoras mais regulares e também uma das principais candidatas a escrever minha biografia qualquer dia desses rsrs

Então, fiquem com a Mari e o seu texto “Algo sobre Cometas”.


Vejo Vocês!

Pensamento do Dia: "Palavras não nos descrevem, sentimentos nos embaraçam...só nós dois juntos conseguimos explicar o inexplicável..." (Igor André)

Foto: Mari, a supracitada, sob um olhar artístico ^^

Ouvindo: burburinhos de outros setores

1 Comentário:

Mariana disse...

=$
Eu não esperava ter minha foto publicada [P&B,como não poderia deixar de ser], e nem o meu nome escrito dessa forma.
Vc realmente publicou o texto!
...
Eu to sem palavras pra falar a verdade! Com um sorriso imensamente tímido!
...mas bem,vamos aos comentários!
[momento para respirar..."e lá vamos nós"]

Esse tema mexe profundamente comigo, pq vc sabe q eu me deparei com a sua face metafórica primeiro, e depois com os outros "vc" existentes. Mas acabou sendo algo tão natural, sendo uma comunicação q fluía tão intensamente quanto a correnteza de um rio! E foi através daí, desse seu lado "noturno" q eu fui te conhecendo e te "lendo".
Nem sei quanto tempo faz... mas sei q era quase um exercício! Todos os dias falando a base de metáforas! rs

E respondendo à comparação: sim, vc escrevendo a tarde é mais "light"! Não q não tenha escrito plenamente, mas acho q o tema te deixou mto mais solto e isso facilitou nessa leveza ao escrever! ;)

Escrever biografia! Será q terei a honra?!?

Beijos...!
Adoro vc...suas palavras, seus atos e sua força!

Mari

Eu?

Minha foto
Cabo Frio, Rio de Janeiro, Brazil

::: O que vejo por aí...

  ©Template Blogger Elegance by Dicas Blogger.

TOPO