"Antes de mudar o mundo, mudar a gente. Ajuda pra caramba..." (Renato Russo)

quarta-feira, 28 de maio de 2008

Perícia Lábia ou Lábios com Perícia?

Saudações

Sim, já faz algum tempo. Por falar em tempo, esta é uma variável que me sobra pouco no momento. Na falta de assunto e de tempo acabo não aparecendo por aqui tanto quanto gostaria (muito mais pelo segundo que pelo primeiro motivo). Mas hoje me sinto a vontade sobre o assunto a ser abordado porque, tenho certeza, todos vocês também adoram falar sobre ele ou calar a boca e praticá-lo, o que, garanto, nem sempre será melhor do que falar sobre. Estou falando do Beijo nas boca (hummm).

Segundo uma pesquisa de procedência duvidosa lida por mim na Internet um dia desses, 9 entre 10 pessoas com vida sexual ativa acham o beijo indispensável durante o ato sexual. Particularmente acho que os que responderam que o beijo não era indispensável costumam “regularizar” sua vida sexual em lugares de alta rotatividade, desta forma, concordo, beijar na boca de alguém pode ser o caminho mais próximo para tatear membros de várias partes da sociedade (trocadilho intencional). Mas não são desses que vamos falar...

Como não podia deixar de ser, conheço, e já conversei sobre o assunto com, várias pessoas que se enquadram no “perfil dos 9”, ou seja, que acham o beijo na boca carícia imprescindível para se ter prazer no relacionamento sexual (espero não estar chocando ninguém com minhas palavras, pelos deuses!).

É provável que você também concorde com isso. Eu concordo com isso. Para este que vos fala, o beijo na boca é a melhor e a mais perturbadora das carícias. É, ao mesmo tempo em que singelo, tenro e adocicado; prazeroso, envolvente e excitante. Claro, todas essas sensações são gradientes, não experimentadas ao mesmo tempo, mas também são cíclicas. Não espero estar falando nenhuma novidade quando digo que o beijo não é preso a regras. Ninguém, nem o mais habilidoso francês, poderia dizer “a maneira certa” de começar e terminar um beijo.

Desde os primeiros estudiosos que escreveram sobre o assunto que o beijo na boca é considerado preliminar ao sexo. Alguns, como Saint Loup, inclusive o colocam, considerando uma “hierarquia de carícias”, acima de outras carícias erógenas, como massagens (leves pessoal, nada de tailandesa aqui) e carícias mais ousadas nas costas ou no peito (no caso dos homens). Óbvio, o beijo na boca também é uma carícia erógena.

E falemos, pois, da Sociedade (acharam mesmo que não ia falar dela?) Desnecessário falar sobre a banalização do beijo na boca. Estou certo que vocês sabem muito bem (e eventualmente tiram proveito disso rsrs) que atualmente não é preciso nem conhecer alguém para beijar-lhe a boca. Lembro do caso de um amigo, o Pirictiberto, onde ele beijou uma menina durante quase cinco minutos e, no final, perguntou – “e ae, como é mesmo o seu nome?” Todos vocês já devem ter um “amigo” que já passaram por uma situação como essa não é? ¬¬

Acho engraçado quando pergunto a uma menina (perguntava, há tempos que já não faço isso. Sério.) se ela beija bem e ela me responde que acha que sim. Na verdade, na grande maioria das vezes, a resposta é a batida “nunca ninguém reclamou”. Seguindo a conversa, se eu me sinto confortável, pergunto o que ela faria se percebesse que o cara que ela estava beijando estava excitado. Na maioria das vezes, salvo exceções mais interessantes, a resposta é “eu me afasto dele”. Ora, penso eu, se uma mulher beija bem (o que é uma questão muito mais de química do que de técnica, apesar de ledos enganos) e sabe disso, como ela pode ser tão “ingênua” a ponto de achar que seu beijo não irá excitar o cara. É aquilo, pode passear por todas as nuances da minha boca. Pode me beijar o pescoço e ouvir meus gemidos sutis enquanto faz isso. Pode respirar o meu ar enquanto brinca com língua pelos meus lábios. Mas se você ficar de pau duro acabou a brincadeira! Com o perdão da má palavra gente, mas isso é de uma imaturidade tão grande que chega a ser engraçado. E a coisa está assim porque beijo na boca virou status e não carícia. E com relação à coisa da excitação, você eventualmente pode pensar que esta imaturidade é comum na galerinha mais nova que está começando a beijar agora (11 ou 12 anos de acordo com nossa triste realidade), não deixa de estar certo, mas se engana se pensa que aquela, sim, “aquela mesma” que parou a balada com todos os seus palavrões eróticos e histórias sacanas nunca irá ficar sem graça quando perceber a “reação” que seu beijo pode causar.

Agora agitem as flâmulas, senhoritas feministas, não tardando em gritar que a mulher tem todo o direito de recuar se não quiser “ir mais a fundo” com um cara que acabou de conhecer. Sou todo ouvidos...e argumentos!

Óbvio que a mulher tem todo direito de recuar a hora que quiser e o cara tem o dever de aceitar isso. E a recíproca é verdadeira, mesmo com todos os “aquele viado deve ser brocha” que alguns homens já tiveram que amargar por não querer “ir mais a fundo” com uma garota. E é nesse ponto que a coisa fica sutil. Estou longe (muito longe) de defender a coisa do “sexo depois do casamento” e o “só beijo minha namorada e se não tiver namorada não beijo”, mas realmente acho que o beijo na boca não pode ser dado “a esmo”. Nem é excitante. É isso que eu chamo de “beijo-status”. O beijo na boca não pode, ele é, mais do que isso. Foi supracitado, o beijo é uma carícia e é erógeno. O beijo já é por si só o “ir mais fundo”. O beijo está lá, depois daquele olhar brilhante de pupilas dilatadas (a gente sempre aprende lições rsrs), daquela frase batida do “você estar tensa, me deixe fazer uma massagem”, depois dos dedos por baixo dos cabelos, etc. E não antes, no “meu(inha) amigo(a) quer te conhecer” ou no atual “....”

Então fica aqui a idéia: aproveite ao máximo seus beijos! No caso do beijo na boca é na qualidade de um momento minimamente especial e não na quantidade de reles momentos oportunos que está o verdadeiro prazer da coisa. Think about this!

Deixo vocês com um poema escrito pelo poeta preferido da senhorita Taberna, conhecido por muitos como Cazuza.


Qual a Cor do Amor?

Primeiro é o beijo Quente, procurado A língua procurando a outra E vendo se a boca combina Se combina o beijo Meio caminho andado Depois é a pele Se a textura vale O pêlo com pêlo Ou o pêlo com o seu pêlo Ou os pêlos com meu pêlo Ou o mêdo Depois o cheiro Um procura no outro O cheiro de colônia ou O cheiro de prazer E os dois se embriagam Ou vão até o banheiro Depois a cor O amor tem cor? Cada amor tem uma cor Cada beijo tem uma cor Cor de caramelo doce Cor de madrugada fria

(Cazuza)

A gente se vê por aí (ou por aqui)

Pensamento do Dia: “Elas se apaixonam pelos cafagestes porque no fundo acham que podem mudá-lo” (Grande Matheus Santos da Silva, vulgo Tio)

Foto: Beijo na Boca

Ouvindo: Taken – Linda Perry (sem preconceitos, ouviu Dona Maiana? ¬¬)

3 Comentários:

Roberta Fernandes disse...

hm...bastante interessante...e concordo com você que o beijo virou sinal de status...
não, não existe técnica, e sim química, não existe hora e muito menos lugar...
um beijo no momento certo, um beijo bem dado, um beijo sincero, vale mais que mil carícias, que mil palávras que mil massagens (exceto as tailândesas é claro!)

um beijo é um beijo e não há nada que o defina, que o explique ou que o mude.

Agora convenhamos, quem beija e corre é pq não beija com sinceridade. quem dá um beijo "quente" espera o que? frieza? não! pau duro amigo! (desculpe, não resisti)
se não aguenta as consequências, se não quer "ir mais fundo" beija com ternura, beija com carinho, e nao com tesão (no mais puro significado).

agora, beijar por beijar perde a graça. perde o gosto. perde o beijo.

se cuida e dá um pulo lá no meu...bjok!

=*

Maiana Muzitano disse...

Bom, comooo sempre nao falarei muito, ate pq...sei la me deixa com vergonha falar sobre isso com vc e nao falarei aqui sobre a minha vida intima. hahahahahhahaa

sobre a musica do cazuza, ja a conhecia...lendo, nao escutando.
:P

e naaao desconto sobre linda perry...ecat!!

beijos da de branco.

Mari(ana) disse...

Fico realmente sem palavras quando vejo como escreve! Não falaria nem 1/3 do que citou nessa belíssima explanação sobre BEIJO!
Confesso que tenho pensado muito sobre o assunto. (Sinceramente, todo vez que escrevo ou leio "KnY", é impossível não pensar sobre isso) E tenho ainda algo a mais a acrescentar sobre o beijo.
Pensemos ainda mais profundamente com relação ao beijo. Imaginemos duas pessoas queridas que se encontram. Quando realmente sentiram saudades uma da outra (e isso não estou falando nem de eros, pragma,nem ágape, estou falando de storge - o amor amigo), você beija a face daquela pessoa, e num verdadeiro instinto, suga com o beijo, seu rosto ligeiramente e depois se fasta. É aí,nesse momento onde se obtem um pouco da pessoa pra si, sugando-a sutilmente; e libera um pouco dela para o outro,permitindo que seus lábios a toquem.
É pela boca que passa nosso combustível vital. Água, alimentação, e até mesmo o ar quando o nariz falha. Tomo pra mim então, que não é de se estranhar que queiramos trocar essa energia com quem queremos, amamos.
O beijo na boca então, se torna mais que roçar de lábios e línguas, se torna uma aliança, um laço que tornam aquelas duas pessoas, uma só naquele instante.

Beijo-status. Bem, esse tipo de beijo ele continua,ele persiste, ele existe, e pretende existir por muito tempo ainda,rs. Mas confesso que cheguei há um tempinho numa fase onde isso perdeu a total e completa graça. Não que eu fizesse como essa galera que nem sabe quem beijava ou contabalizava quantos beijou, ou ainda pior, se vangloriava por tais feitos. Mas é um ato de total lacuna interior que não tem tamanho.
Você pode perguntar pra qualquer baladeiro da noite, o que ele sente depois de uma noite de vários "peguetes"! Eles falaram "ah...sei lá...nada,beijei um monte!" Sinceramente, isso pra mim não tem graça nenhuma. E nem pra eles, mas não se deram conta disso, e nem fazem nada pra mudar a relação que eles tem com beijo.

Quanto a excitação ao beijar! NATURAL! É que as meninas não tem uma ...er...reação tão... perceptível! Além do corpo levemente alterado para os 38ºC e as maçãs do rosto rosadas.rs Mas é estranho você se afastar de alguém que está adorando a química do beijo,a sua companhia. A não ser que você não esteja gostando. Então você disfarça muito bem. rs
Mas falando sério. Beijo pra mim se tornou algo muito valioso, depois que comecei a pensar pelo ângulo que citei parágrafos acima.

Quanto ao seu passeio de um beijo,citado no texto... não vale deixar com vontade! ¬¬' Fiquei de boca aberta aqui! Não preciso nem dizer que vc tem o dom,né?

Adorei o texto de Cazuza. A cor do amor, pra mim, tem um tom de... chocolate, branco e preto! ...rs...=*

E Matheus tem toda a razão! Elas (nós...enfim) ainda ficamos com cafagestes pq pensamos que podemos mudá-los. E na verdade são grande dores de cabeça. xD

Amei o texto! Cada vez melhor! Precisa aparecer mais!!!!

Te adoro demais,mocinho escritor!

KnY! (huummm de novo...)

Eu?

Minha foto
Cabo Frio, Rio de Janeiro, Brazil

::: O que vejo por aí...

  ©Template Blogger Elegance by Dicas Blogger.

TOPO