"Antes de mudar o mundo, mudar a gente. Ajuda pra caramba..." (Renato Russo)

quinta-feira, 21 de junho de 2007

Poesias Suicidas...


Olá!!!

Aqui estou eu para mais divagações a cerca dos nadas da vida. Espero que Deus esteja rolando bons dados para todos vocês.

O que vocês acham de textos que dissertam a morte? Eu particularmente gosto muito de obras que retratam esta que é a única certeza da vida. Principalmente quando ela está de alguma forma relacionada ao amor. Aliás, devo dizer que para mim, o Amor é a única forma de vencer a morte. Se o amor é verdadeiro, a memória da pessoa amada continuará presente na cabeça e no coração daquele que a amou em vida. Dessa forma, o canal que criam permite à pessoa que se foi retornar, mesmo que que por um tempo limitado, para visitar a pessoa amada através do caminho gerado por esta energia, que nada mais é que o amor.
Pode parecer loucura, mas eu realmente acredito nisso do fundo do meu coração. Embora tambem acredite que este "amor" dificilmente está ao alcance de pessoas tão arraigadas a valores sociais que acabam se privando de dar vazão ao que alguns poetas chamariam de "a voz do coração".

Minha teoria parece loucura, mas é só dar uma olhada em obras consagradas que relacionam amor e morte. Na maioria delas o amor conseguiu vencer as barreiras da morte. Me veio na cabeça agora rapidamente Ghost, do outro lado da vida; The Crow; A Divina Comédia..só para ficar nesses três...Poderia ser o caso de a arte que imita a vida..ou a morte.
Claro, de repente não seja verdade, afinal. Ele é quem sabe das coisas. No entanto, seu filho tambem foi outro que morreu por amor e conseguiu vencer a morte, não é verdade?

Para concluir o assunto, eis uma "poesia suicida" a cerca do amor.

Grace
Há uma Lua questionando permanência
Longa demais às nuvens pra eu voar
Bem... é a minha hora chegando
Eu não tenho medo de morrer
Minha voz fraca entoa o amor
Mas ela chora ao estalo doTempo
Oh, tempo.
Aguardando no fogo
E ela chora no meu braço
Caminhando ao brilho das luzes na aflição
Ah, beba um pouco de vinho. Ambos devemos ir amanhã
Oh, meu amor
A chuva está caindo e eu acredito que a hora está chegando
Me lembra uma dor que eu devia ter esquecido
Aguardando no fogo
E eu sinto eles afundarem meu nome
Tão fácil de saber e esquecer com esse beijo
Eu não tenho medo de ir,
Mas estou indo lentamente...

Jeff Buckley


Nota: Jeff Buckley foi um músico de relativo sucesso nos Estados Unidos. Morreu afogado em um lago, onde se banhava com um amigo. As causas da morte são um mistério até hoje e o corpo do cantor só fora encontrado uma semana depois, a quilômetros de distancia de onde aconteceu a tragédia.

Pensamento do dia: "Pessoas morrem, prédios queimam. Mas o Amor verdadeiro permanece para sempre..." (James O´Barr - The Crow)

Foto: O ser de Luz e Sombra (Igor André - improvisando agora um nome para as imagens...rrs)

Até!


2 Comentários:

Mariana disse...

A morte sempre te fascinou..
E você como um poeta nato... reflete sobre ela de forma romântica!
Igor sempre Joshua!
Beijos...!

HDB , é puro disse...

Meu , essa Poesia fcou linda.
Eu adoro Poesias desse Tipo , meus Parabéns.

Eu?

Minha foto
Cabo Frio, Rio de Janeiro, Brazil

::: O que vejo por aí...

  ©Template Blogger Elegance by Dicas Blogger.

TOPO