"Antes de mudar o mundo, mudar a gente. Ajuda pra caramba..." (Renato Russo)

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Mini-Conto: O que os Bardos não Cantam (preview)

Opa!!!

Na verdade o que vou postar agora é um preview de um conto maior - O que os Bardos não Cantam - escrito por mim e que descreve o pesadelo de 4 aventureiros presos em uma masmorra sob o capricho mórbido de seus agressores.

O Conto NÃO É RECOMENDADO para menores de 16 ANOS, por conter linguagem adulta e insinuação sexual

O que os Bardos não Cantam (preview)

Thales, o jovem clérigo de Khalmyr não tinha a mesma sorte. Ele se recusava a se entregar ao alívio da inconsciência durante os não mais contáveis dias de cateiveiro

E sempre era a mesma rotina. O homem de capuz, que Laussian havia dito ser o mago em seus delírios de dor aguda, vinha todos os dias, estuprando a escuridão do quarto escuro com a sua tocha e carregando consigo um deles. Era um ritual. No início era desesperador, mas a rotina havia feito bem o seu papel de analgésico. Todos já haviam ido rumo ao desconhecido mundo de dor presenteado pelo mago, inclusive ele. A diferença é que os outros dormiam. Thales lutava para não perder a fé. E foi a fé em Khalmyr e as palavras que proferia naquele cenário de trevas que garantiam a vida de seus companheiros em momentos mais críticos de dor e entrega. Mas ele mesmo não sabia até quando ia agüentar, pois era o único que via tudo. Via as várias vezes em que a mulher de Tenebra entrava no quarto para garantir que os ferimentos não os levassem a morte. Era quase como uma dança. Tenebra lhes curava o corpo, Khalmyr, o espírito. Via e sentia o ódio inconsciente e inócuo de Dimitri a cada tocha que entrava no aposento e a mulher cuidando muito mais dele do que dos outros, quase como uma brincadeira sarcástica. E via também, aquilo que o mago fazia. Mas isso ele não queria ver. Mas isso ele via que era para não perder a fé. Não fazia idéia se os outros eram tratados da mesma maneira, mas ele tinha consciência plena de que fora uma cobaia humana nas mãos do mago depravado

Para ler o conto inteiro basta clicar aqui. O conto tem aproximadamente 1,3Mb.

Até a Próxima!!!

3 Comentários:

Rapha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rapha disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Rapha disse...

Gostei do conto.

Tirando as partes em demasia ressaltando o quanto a luta foi estupida. Lutamos , acreditamos que poderiamos ganhar, porem parece que fomos premios entre uma jogatina entre Kalmyr e tenebra em que a dama da noite , foi vitoriosa.

Nao classifico como estupido Fazer que um grupo de Sadicos parem de se deliciarem com a carne e a vida de muitos outros que nao podem se defender...Nos lutamos e caimos, O corpo pode estar ferido , mas a culpa nao tera morada no coracao do anao que lutou ate onde pode pra impedir que aquele mal se propagasse alem daquelas paredes que ecoavam um cantico macabro..O Ritual fora concretizado..Os Malditos Sobreviveram....Mais vidas serao tiradas!!!

Que Kalmyr nos ajude...

Eu?

Minha foto
Cabo Frio, Rio de Janeiro, Brazil

::: O que vejo por aí...

  ©Template Blogger Elegance by Dicas Blogger.

TOPO