"Antes de mudar o mundo, mudar a gente. Ajuda pra caramba..." (Renato Russo)

quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Vinte e poucos anos

Olá,

Peço licença para contar uma história pra vocês...

O Orgulho e o Tempo

Uma Noite e o Orgulho se encontrou com o Tempo em um desses bares da Vida. Resolveram brindar este encontro, uma vez que, mesmo sendo conhecidos de longa data, há muito não se encontravam.

E no tilintar dos copos o Orgulho perguntou ao Tempo:

“Por que você é tão apressado? Passa correndo como quem quer tirar a mãe da forca, às vezes acaba não permitindo que pessoas planejem a sua própria Vida. Você é cruel.”

O Tempo, pesaroso, engoliu a cerveja e ela estava amarga como o fel. Olhou para o Orgulho com a firmeza e a ternura de um pai e respondeu:

“Não sou Eu quem passa pela Vida, Orgulho. É ela quem passa por mim. Então, contra a minha passagem, não existe remédio. Mas pense bem. Se você não fosse tão perene e tocasse tanto no sentimento das pessoas, talvez não houvesse tanto o que planejar. Elas perceberiam que a Vida também é um tempo dentro de um que é muito maior. Mas com uma diferença muito importante: a Vida se perde dentro de mim sem aviso prévio. Sendo assim, ela deve ser, de fato, vivida.
As pessoas não deveriam dizer que o tempo é curto. Deveriam valorizar a parcela de tempo que lhes foi dado como o seu maior e verdadeiro tesouro. Sinto dizer, meu amigo, mas infelizmente a sua presença constante contribuiu para que outros de nós como a Vingança, a Inveja e a Arrogância tomassem mais espaço no coração das pessoas do que mereciam. E hoje, principalmente os jovens, esquecem a Misericórdia. Talvez a única que poderia lembrá-los de que o Tempo não pára, mas que ninguem têm todo tempo do mundo.”

O orgulho engoliu áspero, tomou a cerveja de um gole e foi embora dizendo que o Tempo era chato demais. Que não dava pra dialogar com ele e que era por aquilo que eles poucos se encontravam.

O Tempo pagou a conta de ambos. Sorriu sem graça para o garçom e foi embora. Ele nunca podia esperar....

Dedico este texto a Eduardo Magalhães. Não sei o que andou fazendo com o tempo que lhe foi dado, mas acho que foi um exemplo de que a vida termina sem aviso prévio.
Fica o desejo para que suas atidudes na terra tenham colaborado para que tenha um tempo de aprendizado e uma volta tranquila para que consiga confortar logo a saudade inconsciente de quem deixou aqui na terra e que jamais irá esquecer de você. Vá em Paz...

Pensamento do Dia: "O Tempo na para e a gente ainda passa correndo" (Cazuza)

Até Breve

1 Comentário:

Mariana disse...

"És tão novo! - Pareces-me um barco que empreende viagem. - Esse ligeiro desvio de agora, se não o corrigires, fará com que no fim não chegues ao porto."
(Josemaría Escrivá)

São acontecimentos como esse, que mesmo distante de mim, me fizeram pensar sobre o que é a vida e o que é o tempo. A distância física dessa história é ínfema diante da proximidade que temos quanto seres humanos e suas aflições.
...

Quando nascemos, embarcamos nessa viagem que é a vida... quase parecida com a Odisséia que Ulisses percorreu!
Dentre belezas, encantos, monstros e armadilhas... ele teve que passar por tudo aquilo para que pudesse voltar, embora depois de longos anos, à sua casa.
Será que um dia não pensou que aquela tempestade lhe tiraria o ar vital? Que aquela feiticeira não o comeria vivo? Ou que com o tempo, quem o esperava no porto fosse lhe matando aos poucos?
...mas Ulisses seguiu sua viagem!
E assim seguimos a nossa viagem... entre bestas e feitiços, encantos e belezas inimagináveis... entre sentimentos nobres e impuros...
Seguindo e seguindo... se chegaremos ao nosso sonho, não sabemos, mas em algum lugar nosso corpo e a nossa alma...irá aportar!
...
Um abraço forte!

Mari

Eu?

Minha foto
Cabo Frio, Rio de Janeiro, Brazil

::: O que vejo por aí...

  ©Template Blogger Elegance by Dicas Blogger.

TOPO