"Antes de mudar o mundo, mudar a gente. Ajuda pra caramba..." (Renato Russo)

terça-feira, 20 de janeiro de 2009

Faça Amor não faça Greve

Holla Holla!


Hoje seria um daqueles dias em que tenho bastante vontade de escrever alguma coisa, mas não tenho tempo de ordenar as idéias para não correr o risco de levar o leitor para a montanha russa caótica que costuma ser as minhas opiniões a cerca de alguns assuntos. No entanto a Marie Curie, do Divã que costumo freqüentar tocou num assunto delicado em um de seus notórios posts e, sem querer, salvou o dia do Ordem.

Então, sem mais delongas, eu te pergunto: você já fez Greve de Sexo? O que você acha dessa prática?



Antes de divagar sobre o assunto, devo antecipar que muito do que vou dizer aqui já foi dito por mim nos comentários do post original, pelo simples fato de se tratar da minha opinião sobre o assunto e desta não ser ambígua.

Sempre achei a prática ultrapassada. Digna das descendentes diretas da primeira geração da liberação feminina que procurava muito mais romper com o universo masculino do que agir com ele para a construção de um novo consciente coletivo. Não tenho como objetivo incendiar o ímpeto das feministas, mas há quem afirme, com bastante embasamento aliás, que a parcela mais machista da sociedade atual é composta mais de mulheres que de homens.

E a Greve de Sexo pode ser vista como uma prova flagrante deste “machismo feminino” que, se praticada, pode colocar a mulher automaticamente na qualidade de prêmio pela boa conduta do seu companheiro quando o “pune” com a falta de sexo em caso contrário.

Sim, estou sendo pragmático, eu sei. Muito até. Mas imagino ser necessário porque, pelo que vejo, a grande maioria das mulheres que recorrem à Greve como prática, encaram-na com o mesmo pragmatismo. O que não apoio.

Mas existem casos e casos, como bem mostrou a Marie em sua réplica ao meu comentário. Cheguei à conclusão que o problema da Greve de Sexo está, e somente está, na abordagem. Na forma como é utilizada e no motivo que levou a este extremo.

Por que você recorreu à Greve de Sexo?

Claro, as respostas podem variar muito, mas sou honesto quando digo que enquanto escrevo este texto não consigo imaginar uma situação em que a greve seja melhor alternativa do que um pé na bunda do vacilão. Afinal, é sempre bom lembrar que a greve é um sacrifício também para quem a pratica, a não ser, é claro, que transar ou não com o parceiro seja indiferente.

Mas, supondo que se ache um motivo limiar entre fazer greve e terminar o namoro, ainda assim acho a greve uma barganha perigosa para as mulheres do presente século.

Porque? Venha comigo...

Imagine-se dando aquela dura no garotão que você insiste em chamar de namorado. Ele não perde aquela mania que você detesta e você decide dar um ultimato: “ou você lava as suas cuecas ou não vai ver a indiazinha por tempo indeterminado...” (foi só eu ou vocês também acharam o exemplo nojento e sem noção? Whetever). Então, você bate o pézinho, faz cara de mal, mas já pode sentir o aroma de confort vindo das cuecas quando o filho da puta responde: “ah, é greve? Tá, então vamos ver quem agüenta mais tempo...

E então, moça, o que você faz?

O que quero dizer é que dificilmente uma mulher estaria preparada para ouvir algo assim sem ficar chocada. Mesmo no caso das mais descoladas...Nunca presenciei, mas sou capaz de apostar que isso iria gerar uma discussão cujas proporções poderiam ser catastróficas para a relação. Ou não?

Então chegamos ao ponto.

A idéia da "greve" será péssima se o cara é daqueles que vêem no prazer da mulher a fonte do próprio prazer. E isso não é filantropia, pelo contrário, está bem mais para um novo paradigma de relação. É estudado, inclusive.

Portanto, como disse anteriormente, a eficácia da prática dependerá da abordagem, considerando a cumplicidade do casal, sem jamais levar ao pé da letra o conceito de “greve”. Sendo assim, a tal da greve poderia servir até mesmo como um "tempero" bem-humorado para a relação. Um joguinho. Não algo como "opa, pisou na linha! Um mês sem sexo", mas algo mais sóbrio do tipo "Amor, a próxima vez que você não pendurar a toalha ficará uma semana sem que eu (encaixe algo que você curte demais na relação)"

Pense nisso!

Gostaria de aproveitar o espaço para registrar publicamente que hoje eu e minha garota completamos 9 meses de namoro. Foi uma gestação tranqüila, sem problemas ou enjôos, mas com muito desejo. O fruto nasceu forte e se o destino permitir crescerá e viverá assim através dos anos vindouros. Amém.

Até!

5 Comentários:

Mari(ana) disse...

Sou contra a greve de sexo!
Mas a favor de torturas! (6)

xD

Abraços!

Tati disse...

Opaaa

Concordo com a Mari(ana), nada de greve... mas uma tortura é bem legal!! ;)

Beijos Amor

Luciana Santos disse...

Meu Deus! Fala sério... isso ainda existe??? Não é por nada... mas posso dizer que sou adepta dos joguinhos... do segundo exemplo que você deu à respeito de "se vc não pendurar a toalha lá fora, eu não faço folhinha verde com vc (cada um idealize um significado para a expressão).

Compartilho da opinião da Mari e da Tati... as torturas são dolorosamente deliciosas ou vice-versa. Quem não gosta de levar a outra pessoa até o seu limite? Perceber a forma com a qual ela sente o prazer, ela o vivencia... de que forma o desejo toma o seu corpo, seus pensamentos, palavras, ações... enfim... não irei nem me alongar no assunto, mas confesso que dá um bom pano pra manga em um novo post! Quem sanbe, não é? Rs...

Beijoooss!!!

Beta disse...

Em primeiro lugar:
Montanha russa caótica?
Impossível... mesmo que você não esteja com tempo para colcoar as idéias em ordem, é sempre ótimo viajar nas suas idéias.

Em segundo lugar:
Greve de sexo é a coisa mais idiota que existe do Planeta Terra.
Ah, me desculpe, mas não entendo o que passa na cabeça de uma mulher para recorrer a esse tipo de método arcaico!
Eu duvido que dê certo, confesso que nunca tentei, nem pretendo. E das únicas vezes que tentei ficar sem sexo, porque estava chateada com meu parceiro, ou por qualquer outro motivo, eu era a primeira a ficar desesperada e esquecer completamente qualquer desavença.

Em terceiro lugar:
PARABÉNS PELOS 9 MESES DE NAMOROOOOOO! Que venham muitos e muitos anos de vida para este relacionamente que te faz visivelmente tão bem, e, consequentemente, me deixa muuito feliz.

Beijo pros dois.

Marie Curie disse...

Opa, vou dar pitacooo! Huahuahua!
Ok Igor, vamos lá. Eu quero deixar claro que a vontade de fazer sexo não entra no assunto, o que entra é fazer algo de importante pro casal! Nada de "ou a toalha no lugar ou vire-se com suas mãos!". QUando todos os outros métodos falham, e quando a argumentação é inútil, queam do a teimosia é tamanha, daí a greve eu creio que se faz necessária. Não por ela em si, mai uma vez eu repito, o sexo é muuito bom, mas para que finalmente o casal pare para conversar, perceber a importância disso para a mulher. tem homem que junta todas as nossas reclamações em "coisas demulher" e simplesmente nõa ligam pro teor do assunto, é uma forma de chamar a atenção! Eu acho que com você isso não funcionaria, por que pelo menos vc não só leu as minahs reclamações, comentou, relicou, treplicou, huahauha! Enfim, deu brecha para a discussão! E isso é ótemo! Mas eu não acho que home gosta só de sxo e a mulher não, por isso a greve seria mais provável. Bem fico por aqui, beijões e espero não estar muito desconexa, adoorei o post!

"Não concordo com o que dizes, mas defendo até a morte o direito que tem de dize-lo!" E viva Voltaire! huahuahua!
Bjus da Marie!

Eu?

Minha foto
Cabo Frio, Rio de Janeiro, Brazil

::: O que vejo por aí...

  ©Template Blogger Elegance by Dicas Blogger.

TOPO